Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



III Perdido na biblioteca

Quarta-feira, 28.03.12

Uma biblioteca é uma coisa séria. Uma responsabilidade. Invejo a coragem dos que cedem o seu espólio. Mas por alguma razão o fazem, habitualmente, após a morte. Embaraço?

Uma biblioteca é exigente. Em espaço. Em atenção. Em recursos.

A nossa biblioteca define-nos. Cresce connosco. Tremo só de pensar nisso. Se me tentarem perceber por intermédio da minha biblioteca arrisco a esquizofrenia. Ou pior. Já vejo o colete-de-forças. A seringa pronta a sedar-me.

    Um bibliófilo nunca tem livros suficientes. E isso paga-se - em todos os sentidos – nomeadamente nas assolhadas. É uma obsessão. Uma impossibilidade. Um bibliófilo que entra numa livraria é alguém que se põe a jeito. Está a pedi-las. É como se entrássemos num orfanato tipo Cedars House Rules, repleto de crianças (que nos observam com olhar condoído) e que é impossível não adoptar.

Em relação a outras dependências tem a vantagem de os sítios onde se adquirem os livros serem mais agradáveis e legais. E só essa.

    Quando mudamos de casa pomos mãos à obra (e à cabeça) para iniciar uma nova organização. A oportunidade perfeita. Encontraremos qualquer obra em menos tempo do que a menina do Continente chega à caixa cinco para interpretar o código de barras. Mas, antes dessa fase, chegamos à conclusão, quando estamos a encaixotar os livros, que uma biblioteca é feita de intocáveis e incontornáveis, mas também de más opções. Enquanto carregamos aquela edição, que na altura parecia imprescindível, essa é a gota de água que faltava para transbordarmos o copo da ilusão e ficarmos com a nítida e grave impressão de que ao longo dos anos andámos perdidos no trânsito (bibliográfico) decidindo-nos por alguns atalhos que se demonstraram becos sem saída. Ou cortámos à direita em vez da esquerda.

    Mais carregamos e melhor percebemos que há, também, os interesses que nunca o chegaram a ser ou que hibernaram. Mas que deixaram vestígios: mais livros. A aquariofilia que nunca ultrapassou o patamar compra na Amazon livro de bolso.

E os guilty pleasures. Que nos pesam na consciência. Nos atacam o orgulho. Nos fazem, duvidar do nosso bom gosto. Levando-nos ao questionamento do nosso “eu” literário. A que renunciamos e fingimos que não conhecemos, tratando-o como um “tu”. Aquele título que arrisca a trivialidade. Aquele nome associado a um género menor. Como sucede com o wrestling em que está lá quase tudo, mas no fim sabemos que não passa de show off. Envergonhados. Só que é tarde demais: já comprámos.

    Tenho a meu favor que a minha distração generalizada faz com que não encontre as chaves dentro do bolso. Porque havia de ser diferente com os livros? Preciso de um fio de Ariadne para encontrar o caminho de volta.

Ora, Ariadne ou Ariadna, filha de Minos, rei de Creta… mitologia grega, portanto, estamos a falar da prateleira?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Máquina-da-Preguiça às 11:49


2 comentários

De E. a 29.03.2012 às 20:46

Gosto de pensar que uma biblioteca pessoal se vai tornando, por si só, um fio de Ariadne :) mas capaz de levar a uma miríade de saídas do enorme labirinto.

(e fiquei a perguntar-me quantos volumes contará a sua colecção, bad choices & all; acho que não há melhor lugar para nos afundarmos que entre prateleiras carregadas, com tantas portas abertas para dentro de alguém & mesmo assim com todo o mistério implícito a um pequeno museu individual de palavras)

De Fim a 31.03.2012 às 12:28

Compra livros digitais q o espaco n se torna pequeno :) (tenho consciencia da heresia do comentario, mas uma vez em Roma...)

Comentar post









arquivos

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D





pesquisar

Pesquisar no Blog  





comentários recentes

  • numadeletra

    Dramas balneares :-)

  • Maria

    Que delícia!!!

  • Sandra

    :) Se descobrires como se treina esse optimismo , ...

  • LWillow

    Dietas 'é uma coisa que não me assiste' e assim s...

  • LWillow

    http://www.youtube.com/watch?v=BV-dOF7yFTw

  • LWillow

    ehehehe! 'tamos nessa' 'brother' ! Mais um bom tex...

  • LWillow

    Thanks ! this reading was a pleasure !

  • Anónimo

    Aperta faneca! Vamos a Estocolmo sacar o guito! Su...

  • Lwillow

    Ora aqui está mais uma 'pérola para porcos' ! O mo...

  • LWillow

    Como eu te percebo ! Mas ... 'não há volta a dar-l...


REDES SOCIAIS